Pesquisar este blog

terça-feira, 5 de novembro de 2013

ISAÍAS-5 SALMOS-13



A canção da vinha

1 Cantarei para o meu amigo
o seu cântico
a respeito de sua vinha:
Meu amigo tinha uma vinha
na encosta de uma fértil colina.
2 Ele cavou a terra, tirou as pedras
e plantou as melhores videiras.
Construiu uma torre de sentinela
e também fez um tanque de prensar uvas.
Ele esperava que desse uvas boas,
mas só deu uvas azedas.
3 "Agora, habitantes de Jerusalém
e homens de Judá,
julguem entre mim e a minha vinha.
4 Que mais se poderia fazer por ela
que eu não tenha feito?
Então, por que só produziu uvas azedas
quando eu esperava uvas boas?
5 Pois eu digo a vocês o que vou fazer
com a minha vinha:
Derrubarei a sua cerca
para que ela seja transformada em pasto;
derrubarei o seu muro
para que seja pisoteada.
6 Farei dela um terreno baldio;
não será podada nem capinada;
espinheiros e ervas daninhas crescerão nela.
Também ordenarei às nuvens
que não derramem chuva sobre ela."
7 Pois bem,
a vinha do Senhor dos Exércitos
é a nação de Israel,
e os homens de Judá
são a plantação que ele amava.
Ele esperava justiça,
mas houve derramamento de sangue;
esperava retidão,
mas ouviu gritos de aflição.

Angústia e julgamentos

8 Ai de vocês que adquirem casas e mais casas,
propriedades e mais propriedades
até não haver mais lugar para ninguém
e vocês se tornarem
os senhores absolutos da terra!
9 O Senhor dos Exércitos me disse:
"Sem dúvida muitas casas
ficarão abandonadas,
as casas belas e grandes
ficarão sem moradores.
10 Uma vinha de dez alqueires
só produzirá um pote de vinho,
um barril de semente
só dará uma arroba de trigo".
11 Ai dos que se levantam cedo
para embebedar-se,
e se esquentam com o vinho até a noite!
12 Harpas, liras, tamborins, flautas e vinho
há em suas festas,
mas não se importam
com os atos do Senhor,
nem atentam para a obra
que as suas mãos realizam.
13 Portanto, o meu povo vai para o exílio
por falta de conhecimento.
A elite morrerá de fome;
e as multidões, de sede.
14 Por isso o Sheol aumenta o seu apetite
e escancara a sua boca.
Para dentro dele descerão
o esplendor da cidade e a sua riqueza,
o seu barulho e os que se divertem.
15 Por isso o homem será abatido,
a humanidade se curvará,
e os arrogantes terão que baixar os olhos.
16 Mas o Senhor dos Exércitos
será exaltado em sua justiça;
o Deus santo se mostrará santo
em sua retidão.
17 Então ovelhas pastarão ali
como em sua própria pastagem;
cordeiros comerão nas ruínas dos ricos.
18 Ai dos que se prendem à iniquidade
com cordas de engano
e ao pecado com cordas de carroça,
19 e dizem: "Que Deus apresse
a realização da sua obra
para que a vejamos;
que se cumpra
o plano do Santo de Israel
para que o conheçamos".
20 Ai dos que chamam ao mal bem
e ao bem, mal,
que fazem das trevas luz
e da luz, trevas,
do amargo, doce
e do doce, amargo!
21 Ai dos que são sábios
aos seus próprios olhos
e inteligentes em sua própria opinião!
22 Ai dos que são campeões
em beber vinho
e mestres em misturar bebidas,
23 dos que por suborno
absolvem o culpado,
mas negam justiça ao inocente!
24 Por isso, assim como a palha
é consumida pelo fogo
e o restolho é devorado pelas chamas,
assim também as suas raízes apodrecerão
e as suas flores, como pó,
serão levadas pelo vento;
pois rejeitaram
a lei do Senhor dos Exércitos,
desprezaram a palavra do Santo de Israel.
25 Por tudo isso a ira do Senhor
acendeu-se contra o seu povo,
e ele levantou sua mão para os ferir.
Os montes tremeram,
e os seus cadáveres
estão como lixo nas ruas.
Apesar disso tudo,
a ira dele não se desviou;
sua mão continua erguida.
26 Ele levanta uma bandeira
convocando uma nação distante
e assobia para um povo
dos confins da terra.
Aí vêm eles rapidamente!
27 Nenhum dos seus soldados
se cansa nem tropeça,
nenhum deles cochila nem dorme,
nenhum afrouxa o cinto,
nenhum desamarra a correia das sandálias.
28 As flechas deles estão afiadas,
preparados estão todos
os seus arcos;
os cascos dos seus cavalos
são duros como pedra,
as rodas de seus carros
são como um furacão.
29 O rugido deles é como o do leão;
rugem como leões ferozes;
rosnam enquanto se apoderam da presa
e a arrastam
sem que ninguém possa livrá-la.
30 Naquele dia, rugirão sobre Judá
como o rugir do mar.
E, se alguém olhar para a terra de Israel,
verá trevas e aflição;
até a luz do dia
será obscurecida pelas nuvens.

 1 Até quando, Senhor?
Para sempre te esquecerás de mim?
Até quando esconderás de mim o teu rosto?
2 Até quando terei inquietações
e tristeza no coração dia após dia?
Até quando o meu inimigo triunfará sobre mim?
3 Olha para mim e responde, Senhor, meu Deus.
Ilumina os meus olhos,
ou do contrário dormirei o sono da morte;
4 os meus inimigos dirão: "Eu o venci",
e os meus adversários festejarão o meu fracasso.
5 Eu, porém, confio em teu amor;
o meu coração exulta em tua salvação.
6 Quero cantar ao Senhor
pelo bem que me tem feito.

Postar um comentário