Pesquisar este blog

domingo, 7 de abril de 2013

ÉXODO-30-ÍSAIAS-14


O altar do incenso

1 "Faça um altar de madeira de acácia para queimar incenso.
2 Será quadrado, com quarenta e cinco centímetros de cada lado e noventa centímetros de altura; suas pontas forma­rão com ele uma só peça.
3 Revista de ou­ro puro a parte superior, todos os lados e as pontas, e faça uma moldura de ouro ao seu re­dor.
4 Faça duas argolas de ouro de cada lado do altar, abaixo da moldura, que sustentem as va­ras utilizadas para carregá-lo,
5 e use madeira de acácia para fazer as varas e revista-as de ouro.
6 Coloque o altar em frente do véu que se encon­tra diante da arca da aliança, diante da tampa que está sobre ele, onde me encontrarei com você.
7 "Arão queimará incenso aromático sobre o altar todas as manhãs, quando vier cui­dar das lâmpadas,
8 e também quando acendê-las ao entardecer. Será queimado incenso continua­mente perante o Senhor, pelas suas gerações.
9 Não ofereçam nesse altar nenhum outro tipo de incenso nem holocausto nem ofer­ta de cereal nem derramem sobre ele ofertas de bebidas.
10 Uma vez por ano, Arão fará propiciação sobre as pontas do altar. Essa propiciação anual será realizada com o sangue da oferta para propicia­ção pelo pecado, geração após geração. Esse altar é santíssimo ao Senhor".

O dinheiro do resgate

11 Disse então o Senhor a Moisés:
12 "Quan­do você fizer o recenseamento dos israelitas, cada um deles terá que pagar ao Senhor um preço pelo resgate por sua vida ao ser for contado. Dessa forma nenhuma praga virá sobre eles quando você os contar.
13 Cada recenseado contribuirá com seis gramas, com base no peso padrão do santuário, que tem doze gramas. Os seis gramas são uma oferta ao Senhor.
14 Todos os alistados, da idade de vinte anos para cima, darão ao Senhor essa oferta.
15 Os ricos não contribuirão com mais, nem os pobres darão menos que seis gramas, quando apresentarem a oferta ao Senhor como propiciação por sua vida.
16 Receba dos israelitas o preço da propiciação e use-o para o serviço da Tenda do Encontro. Será um memorial perante o ­Senhor em favor dos israelitas, para fazerem propiciação por suas vidas".

A bacia para as lavagens

17 Disse então o Senhor a Moisés:
18 "Fa­ça uma bacia de bronze com uma base de bron­ze, para se lavarem. Coloque-a entre a Tenda do Encontro e o altar, e mande enchê-la de água.
19 Arão e seus filhos lavarão as mãos e os pés com a água da bacia.
20 Toda vez que entrarem na Tenda do Encontro, terão que lavar-se com água, para que não morram. Quando também se aproximarem do altar para ministrar ao ­Senhor, apresentando uma oferta preparada no fogo,
21 lavarão as mãos e os pés para que não mor­ram. Esse é um decreto perpétuo, para Arão e os seus descendentes, geração após geração".

O óleo da unção

22 Em seguida, o Senhor disse a Moisés:
23 "Junte as seguintes especiarias: seis quilos de mirra líquida, a metade disso, ou seja, três qui­los de canela, três quilos de cana aromática,
24 seis quilos de cássia, com base no peso padrão do santuário, e um galão de azeite de oliva.
25 Faça com eles o óleo sagrado para as unções, uma mistura de aromas - obra de perfumista. Esse será o óleo sagrado para as unções.
26 Use-o para ungir a Tenda do Encontro, a arca da alian­ça,
27 a mesa e todos os seus utensílios, o cande­labro e os seus utensílios, o altar do incenso,
28 o altar do holocausto e todos os seus utensílios, e a bacia com a sua base.
29 Vo­cê os consagrará e serão santíssimos, e tudo o que neles tocar se tornará santo.
30 "Unja Arão e seus filhos e consagre-os para que me sirvam como sacerdotes.
31 Diga aos israelitas: Este será o meu óleo sagrado para as unções, geração após geração.
32 Não o derra­mem sobre nenhum outro homem e não façam nenhum outro óleo com a mesma composição. É óleo sagrado, e assim vocês devem considerá-lo.
33 Quem fizer óleo como esse ou usá-lo em alguém que não seja sacerdote, será eliminado do meio do seu povo".

A preparação do incenso

34 Disse ainda o Senhor a Moisés: "Jun­te as seguintes essências: bálsamo, ônica, gálba­no e incenso puro - todos em quantidades iguais -,
35 e faça um incenso de mistura aromática - obra de perfumista. Levará sal e será puro e santo.
36 Moa parte dele, até virar pó, e coloque-o dian­te das tábuas da aliança, na Tenda do Encontro, onde me encontrarei com você. O incenso lhes será santíssimo.
37 Não façam nenhum outro incenso com a mesma composição para uso pessoal; considerem-no sagrado, reservado para o Senhor.
38 Quem fizer um incenso semelhan­te, para usufruir sua fragrância, será eliminado do seu povo".


Restauração de Israel

1 O Senhor terá compaixão de Jacó; tornará a escolher Israel e os estabelecerá em sua própria terra. Os estrangeiros se juntarão a eles e farão parte da descendência de Jacó.
2 Povos os apanharão e os levarão ao seu próprio lugar. E a descendência de Israel possuirá os povos como servos e servas na terra do ­Senhor. Farão prisioneiros os seus captores e dominarão sobre os seus opressores.
3 No dia em que o Senhor der descan­so do sofrimento, da perturbação e da cruel escravidão que sobre você foi imposta,
4 você zombará assim do rei da Babilônia: Como chegou ao fim o opressor! Sua arrogância acabou-se!
5 O Senhor quebrou a vara dos ímpios, o cetro dos governantes
6 que irados feriram os povos com golpes incessantes e enfurecidos subjugaram as nações com perseguição implacável.
7 Toda a terra descansa tranquila, todos irrompem em gritos de alegria.
8 Até os pinheiros e os cedros do Líbano alegram-se por sua causa e dizem: "Agora que você foi derrubado, nenhum lenhador vem derrubar-nos!"
9 Nas profundezas o Sheol está todo agitado para recebê-lo quando chegar. Por sua causa ele desperta os espíritos dos mortos, todos os governantes da terra. Ele os faz levantar-se dos seus tronos, todos os reis dos povos.
10 Todos responderão e dirão a você: "Você também perdeu as forças como nós, e tornou-se como um de nós".
11 Sua soberba foi lançada na sepultura, junto com o som das suas liras; sua cama é de larvas, sua coberta, de vermes.
12 Como você caiu dos céus, ó estrela da manhã, filho da alvorada! Como foi atirado à terra, você, que derrubava as nações!
13 Você, que dizia no seu coração: "Subirei aos céus; erguerei o meu trono acima das estrelas de Deus; eu me assentarei no monte da assembleia, no ponto mais elevado do monte santo.
14 Subirei mais alto que as mais altas nuvens; serei como o Altíssimo".
15 Mas às profundezas do Sheol você será levado, irá ao fundo do abismo!
16 Os que olham para você admiram-se da sua situação, e a seu respeito ponderam: "É esse o homem que fazia tremer a terra, abalava os reinos,
17 fez do mundo um deserto, conquistou cidades e não deixou que os seus prisioneiros voltassem para casa?"
18 Todos os reis das nações jazem honrosamente, cada um em seu próprio túmulo.
19 Mas você é atirado fora do seu túmulo, como um galho rejeitado; como as roupas dos mortos que foram feridos à espada; como os que descem às pedras da cova; como um cadáver pisoteado,
20 você não se unirá a eles num sepultamento, pois destruiu a sua própria terra e matou o seu próprio povo. Nunca se mencione a descendência dos malfeitores!
21 Preparem um local para matar os filhos dele por causa da iniquidade dos seus antepassados; para que eles não se levantem para herdar a terra e cobri-la de cidades.
22 "Eu me levantarei contra eles", diz o Senhor dos Exércitos. "Eliminarei da Babilônia o seu nome e os seus sobreviventes, sua prole e os seus descendentes", diz o Senhor.
23 "Farei dela um lugar para corujas e uma terra pantanosa; vou varrê-la com a vassoura da destruição", diz o Senhor dos Exércitos.

Profecia contra a Assíria

24 O Senhor dos Exércitos jurou: "Certamente, como planejei, assim acontecerá, e, como pensei, assim será.
25 Esmagarei a Assíria na minha terra; nos meus montes a pisotearei. O seu jugo será tirado do meu povo, e o seu fardo, dos ombros dele".
26 Esse é o plano estabelecido para toda a terra; essa é a mão estendida sobre todas as nações.
27 Pois esse é o propósito do Senhor dos Exércitos; quem pode impedi-lo? Sua mão está estendida; quem pode fazê-la recuar?

Profecia contra os filisteus

28 Esta advertência veio no ano em que o rei Acaz morreu:
29 Vocês, filisteus, todos vocês, não se alegrem porque a vara que os feria está quebrada! Da raiz da cobra brotará uma víbora, e o seu fruto será uma serpente veloz.
30 O mais pobre dos pobres achará pastagem, e os necessitados descansarão em segurança. Mas eu matarei de fome a raiz de vocês, e ela matará os seus sobreviventes.
31 Lamente, ó porta! Clame, ó cidade! Derretam-se todos vocês, filisteus! Do norte vem um exército, e ninguém desertou de suas fileiras.
32 Que resposta se dará aos emissários daquela nação? Esta: "O Senhor estabeleceu Sião, e nela encontrarão refúgio os aflitos do seu povo".

Postar um comentário