Pesquisar este blog

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

MATEUS-4--PROVÉRBIOS-25

Jesus é tentado

1 Então Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo Diabo.
2 Depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome.
3 O tentador aproximou-se dele e disse: "Se és o Filho de Deus, manda que estaspedras se transformem em pães".
4 Jesus respondeu: "Está escrito: 'Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus'".
5 Então o Diabo o levou à cidade santa, colocou-o na parte mais alta do templo e lhe disse:
6 "Se és o Filho de Deus, joga-te daqui para baixo. Pois está escrito:
" 'Ele dará ordens a seus anjos a seu respeito,
e com as mãos eles o segurarão,
para que você não tropece
em alguma pedra'".
7 Jesus lhe respondeu: "Também está escrito: 'Não ponha à prova o Senhor, o seu Deus'".
8 Depois, o Diabo o levou a um monte muito alto e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e o seu esplendor.
9 E disse-lhe: "Tudo isto te darei se te prostrares e me adorares".
10 Jesus lhe disse: "Retire-se, Satanás! Pois está escrito: 'Adore o Senhor, o seu Deus, e só a ele preste culto'".
11 Então o Diabo o deixou, e anjos vieram e o serviram.

Jesus começa a pregar

12 Quando Jesus ouviu que João tinha sido preso, voltou para a Galileia.
13 Saindo de Nazaré, foi viver em Cafarnaum, que ficava junto ao mar, na região de Zebulom e Naftali,
14 para cumprir o que fora dito pelo profeta Isaías:
15 "Terra de Zebulom
e terra de Naftali,
caminho do mar,
além do Jordão,
Galileia dos gentios;
16 o povo que vivia nas trevas
viu uma grande luz;
sobre os que viviam
na terra da sombra da morte
raiou uma luz".
17 Daí em diante Jesus começou a pregar: "Arrependam-se, pois o Reino dos céusestá próximo".

A chamada dos primeiros discípulos

18 Andando à beira do mar da Galileia, Jesus viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Eles estavam lançando redes ao mar, pois eram pescadores.
19 E disse Jesus: "Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens".
20 No mesmo instante eles deixaram as suas redes e o seguiram.
21 Indo adiante, viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão. Eles estavam num barco com seu pai, Zebedeu, preparando as suas redes. Jesus os chamou,
22 e eles, deixando imediatamente seu pai e o barco, o seguiram.

Jesus cura os enfermos

23 Jesus foi por toda a Galileia, ensinando nas sinagogas deles, pregando as boas-novas do Reino e curando todas as enfermidades e doenças entre o povo.
24 Notícias sobre ele se espalharam por toda a Síria, e o povo lhe trouxe todos os que sofriam de vários males e tormentos: endemoninhados, loucos e paralíticos; e ele os curou.

25 Grandes multidões o seguiam, vindas da Galileia, Decápolis, Jerusalém, Judeia e da região do outro lado do Jordão.

Mais provérbios de Salomão

1 Estes são outros provérbios de Salo­mão, compilados pelos servos de Ezequias, rei de Judá:
2 A glória de Deus é ocultar certas coisas;
tentar descobri-las é a glória dos reis.
3 Assim como o céu é elevado
e a terra é profunda,
também o coração dos reis é insondável.
4 Quando se retira a escória da prata,
nesta se tem material para o ourives;
5 quando os ímpios são retirados
da presença do rei,
a justiça firma o seu trono.
6 Não se engrandeça na presença do rei
e não reivindique lugar
entre os homens importantes;
7 é melhor que o rei lhe diga:
"Suba para cá!",
do que ter que humilhá-lo
diante de uma autoridade.
O que você viu com os olhos
8 não leve precipitadamente ao tribunal,
pois o que você fará
se o seu próximo o desacreditar?
9 Procure resolver sua causa diretamente
com o seu próximo
e não revele o segredo de outra pessoa,
10 caso contrário, quem o ouvir
poderá recriminá-lo,
e você jamais perderá sua má reputação.
11 A palavra proferida no tempo certo
é como frutas de ouro
incrustadas numa escultura de prata.
12 Como brinco de ouro
e enfeite de ouro fino
é a repreensão dada com sabedoria
a quem se dispõe a ouvir.
13 Como o frescor da neve
na época da colheita
é o mensageiro de confiança
para aqueles que o enviam;
ele revigora o ânimo de seus senhores.
14 Como nuvens e ventos sem chuva
é aquele que se gaba de presentes
que não deu.
15 Com muita paciência
pode-se convencer a autoridade,
e a língua branda quebra até ossos.
16 Se você encontrar mel,
coma apenas o suficiente,
para que não fique enjoado e vomite.
17 Não faça visitas frequentes
à casa do seu vizinho
para que ele não se canse de você
e passe a odiá-lo.
18 Como um pedaço de pau,
uma espada ou uma flecha aguda
é o que dá falso testemunho
contra o seu próximo.
19 Como dente estragado ou pé deslocado
é a confiança no hipócrita
na hora da dificuldade.
20 Como tirar a própria roupa
num dia de frio,
ou derramar vinagre numa ferida
é cantar com o coração entristecido.
21 Se o seu inimigo tiver fome,
dê-lhe de comer;
se tiver sede, dê-lhe de beber.
22 Fazendo isso, você amontoará
brasas vivas sobre a cabeça dele,
e o Senhor recompensará você.
23 Como o vento norte traz chuva,
assim a língua fingida traz o olhar irado.
24 Melhor é viver num canto sob o telhado
do que repartir a casa
com uma mulher briguenta.
25 Como água fresca para a garganta sedenta
é a boa notícia que chega
de uma terra distante.
26 Como fonte contaminada
ou nascente poluída,
assim é o justo que fraqueja
diante do ímpio.
27 Comer mel demais não é bom,
nem é honroso buscar a própria honra.
28 Como a cidade
com seus muros derrubados,
assim é quem não sabe dominar-se.

Postar um comentário