Pesquisar este blog

terça-feira, 9 de outubro de 2012


               Existe um tempo próprio para tudo, e há uma época para cada coisa debaixo do céu:
um tempo para nascer e um tempo para morrer; um tempo para plantar e um tempo para colher o que se semeou;
um tempo para matar, um tempo para curar as feridas; um tempo para destruir e outro para reconstruir;
um tempo para chorar e um tempo para rir; um tempo para se lamentar e outro para dançar de alegria;
um tempo para espalhar pedras, um tempo para as juntar; um tempo para abraçar, um tempo para afastar quem se chega a nós;
um tempo para andar à procura e outro para perder; um tempo para armazenar e um para distribuir;
um tempo para rasgar e outro para coser; um tempo para estar calado e outro tempo para falar;
um tempo para amar, um tempo para odiar; um tempo para a guerra, e um tempo para a paz.
O que é que uma pessoa realmente obtém com o seu esforço?
10 Pensei nisto em relação às várias espécies de trabalho que Deus dá à humanidade.
11 Tudo tem o seu tempo próprio. Mas ainda que Deus tenha posto no coração do ser humano a ideia da eternidade, mesmo assim o homem não consegue atingir inteiramente o propósito das obras de Deus, desde o princípio até ao fim.
12 Por isso concluí que, primeiramente, não há nada melhor para o ser humano do que ser feliz e gozar da vida, tanto quanto puder;
13 em segundo lugar, que deve comer, beber e disfrutar do fruto do seu trabalho, pois estas coisas são um dom de Deus.
14 Uma coisa sei eu, é que tudo quanto Deus faz é perfeito, é para sempre - nada se lhe pode acrescentar ou tirar; e a intenção de Deus é que as pessoas temam o Deus todo-poderoso.
Postar um comentário